Sofia, a surpresa ambulante

foto da SofiaSegundo minha irmã, Sofia é uma lady. Outras pessoas que a conhecem sabem que ela é dócil, se aproxima de estranhos sem medo, e é muito dengosa. Poucos acreditam que ela também é uma fera quando contrariada.

Ano passado ela não queria ir ao veterinário, e eu ganhei uma mordida, com direito a dentinhos bem marcados na pele, vacina e cuidados especiais para não infeccionar. Algum tempo depois, a dócil gatinha precisou fazer exame de sangue, e o veterinário, mesmo depois de cortar as unhas dela por precaução, perdeu sangue também. Pra fazer ultrassom, Sofia ganhou botinhas de esparadrapo (as unhas já estavam cortadas) e foram necessárias 3 pessoas: uma com o aparelho, e duas pra segurar a mocinha que não parava quieta de jeito nenhum. Até hoje ela bate nos filhotes bagunceiros (maiores e mais robustos que ela), com a tranqüilidade e leveza de quem brinca com bolinhas de papel de seda.

Por causa desse passado, quando finalmente conseguimos marcar a castração da Sofia para uma semana sem cio, avisamos na clínica que ela fica agressiva quando contrariada, e que era de se esperar alguns conflitos antes da cirurgia. Afixaram na caixa de transporte um adesivo escrito “brava”. Quando fomos buscá-la, a veterinária fez questão de falar que ela é um doce, que abriu a caixa esperando a “brava” e Sofia veio toda dengosa, fazendo purr e virando a barriguinha pra receber carinho!

De repente, entendi as motherns descrevendo o constrangimento gerado pela Síndrome do Sapo Cantor

Anúncios

7 pensamentos sobre “Sofia, a surpresa ambulante

  1. Menina, meus braços estão todo arranhados, de tanto brincar com o Nino no fim de semana. Morro de vergonha na hora da reuniões. Tenho queficar escondendo os machucados, ahahaha…

  2. Quando a gente precisa fazer ultrassom aqui em casa (o atum e a muriel não saem de casa com muita facilidade não), a gente pega uma toalha de banho velha e enrola o coitado do escolhido. eu sentei com o atum em pé no meu colo, segurando as patas dianteiras enroladas na toalha. alguém segura as patas traseiras e o médico faz seu selvicio.

    muriel, quando tá com medo, vira uma boneca de trapo, então eu pude segurá-la sozinha enquanto o doutor trabalhava…

  3. Tô chegando aqui, através do blog da denise, síndrome de estocolmo, por causa do dia do blog, também adoro gatos, já tive 8, hoje tenho 6 e alguns visitantes que vem roubar ração. E olha que coincidência, também sou advogada.
    Adorei a foto da gata que dormiu de pé, ri muito, muito, muito. Acho que vou dar umas passadas aqui pra ver os felinos…
    Lilian

  4. Menina, eu seu o que é essa estória de gato que é tranquilo mas que quando pressente que sua rotina vai ser alterada, vira um tigre. O meu Frajola não é nenhum cavalheiro mas não ataca ninguém, até por ser um covarde o safado, mas foi só eu tentar sair com ele da minha casa para tomar vacina que o cara virou uma fera. Só não me arranhou por eu ter soltado o cretino. E ainda teve direito a subida no alto da árvore da calçada igual a desenho animado. Depois voltou pra casa calmo sereno e tranquilo, como se nem fosse com ele. Vai entender os bigodudos, o problema é que nós gostamos demais deles. Um abração.

Os comentários estão desativados.