Implantando problemas

Você achou interessante a iniciativa de Porto Alegre ao criar um programa de contracepção através de implantes anticoncepcionais que duram 3 anos e destinado a adolescentes de baixa renda, que vivem em albergues, abrigos ou são meninas de rua?

Então leia este artigo da Fátima Oliveira, comparando o programa implantado a um sistema de controle de natalidade discriminatório, exclusivo para uma população extremamente vulnerável, e os dois posts das Mulheres de Olho mostrando os graves problemas do programa.

Anúncios