Dia Internacional da Mulher

Oito de março é o Dia Internacional da Mulher. Antes de ir pra caixa de comentários me desejar parabéns, é melhor ler este post com atenção.

Não estou falando de dia de festa, de comemoração, de presentes, de celebrar “a beleza feminina que enfeita o mundo” (é, eu já ouvi isso. Blergh!), nem é dia de ouvir homens que não gostam de mulheres (pelo menos, mulheres que não se enquadram nessa história romântica de beleza e perfeição maternal) agradecendo a elas por existirem.

O Dia Internacional da Mulher é dia de luta. Hoje temos muitos direitos, mas é só olhar os posts abaixo pra ver que não tem nem 100 anos que nós, brasileiras, conquistamos o direito ao voto. Durante muitos séculos fomos consideradas úteis apenas para procriar, e ainda tem muita gente que pensa assim. Em várias épocas de miséria e opressão, as mulheres foram fundamentais para fazerem panelaços, barricadas e passeatas exigindo mudanças na política e na economia, só que, quando os protestos surtiam efeito, elas eram excluídas do processo de reconstrução. Ainda hoje existem muitas mulheres que adoecem por falta de comida, pois os melhores alimentos devem ir para os homens (que trabalham fora) e as crianças. Muitas mulheres têm de abrir mão do estudo porque engravidaram e não têm quem cuide dos filhos. A maioria dos homens ainda não entendeu que, pra serem “pais de família”, precisam dar tanta atenção aos filhos quanto as mães dessas crianças, e não abandoná-las pelo mundo. A maior parte dos maridos não sabe dividir tarefas domésticas, nem dá valor à sua casa, acreditando que essas questões são exclusivamente femininas. A maior parte das pessoas se julga no direito de definir como uma mulher deve organizar sua vida, como ela deve cuidar do seu corpo e quais devem ser as atividades convenientes para sua posição social. Ainda hoje educamos meninas para serem submissas, casadoiras e sombras do marido, enquanto os meninos são criados para mais tarde gerenciarem uma esposa-secretária. Mulheres precisam ser bonitas para serem consideradas excelentes profissionais; homens bem sucedidos podem ser feios ou simpáticos. A entrada maciça de mulheres no mercado de trabalho revelou diversos problemas que ainda não foram solucionados, desde a disparidade de salários em relação aos homens e de possibilidades de ascensão profissional, até a necessidade de creches e o marido que se considera dono da mulher e não aceita que a esposa tenha vida profissional e pessoal longe de seu controle. A violência contra mulheres, e problemas de saúde femininos, recebem muito menos atenção e solução que as mesmas situações em suas versões masculinas. A violência doméstica é tão desvalorizada que gente que se diz esclarecida procura os motivos mais absurdos para justificar o fato de uma pessoa resolver suas frustrações espancando e ofendendo uma outra pessoa que considerada inferior e, portanto, merecedora de violência.

Com tantos problemas a serem resolvidos, por que parabenizar as mulheres? Ah, deve ser porque elas têm motivos para fazer uma revolução, mas estão quietinhas no canto delas, que, aliás, é o lugar de onde não deveriam ter saído… pensamento altamente preconceituoso e machista, esse. Mas é isso que você, que acha que é moderno, inteligente, charmoso e educado, está transmitindo ao adotar o clichê do parabéns.

Portanto, ao invés de parabenizar as mulheres pelo dia delas, pense como você contribui para que esse dia seja necessário. Reflita sobre a disparidade na situação de homens e mulheres em sua casa, em seu ambiente de trabalho, em sua vizinhança. Lembre-se do quanto você acha que mulheres são inferiores e devem ser submissas, a ponto de dizer “já conseguiram muita coisa, mas agora estão exagerando”. Mudar essa situação, reconhecendo no dia-a-dia que homens e mulheres devem ser iguais em direitos e deveres, mudando atitudes discriminatórias que atentem contra essa igualdade, é o melhor “parabéns” que pode existir.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Dia Internacional da Mulher

  1. Oi! Tb estou participando da blogagem coletiva e vim te desejar um Feliz Dia Internacional das Mulheres!! Que Deus possa sempre está nos dando forças p/ novas conquistas e nossos companheiros reconhecer a nossa importância neste mundo. 🙂 Bjos.

  2. Cynthia,
    apesar desse imenso abismo que ainda há para adquirirmos o respeito, valor e dignidade que a mulher deveria ter, eu vejo tudo que já conquistamos e me sinto orgulhosa. Há muito o que conquistar, mas lembrar nossas conquistas é um estímulo para não desanimar.

  3. Cynthia,
    Parab… hehe, brincadeirinha.

    Concordo 100% com você. Aliás acabei de chegar de uma mesa redonda “A Lei Maria da Penha e a Violência contra a Mulher”. Eu já antecipava que iria sair deprimida, mas, teimosa que sou fui. Que brutalidade, acho que não estamos nem engatinhando na questão da violência.

    Vejo que precisamos mais do que uma boa lei — precisamos de uma grande mudança de paradigmas. Sei que é difícil, mas tem que começar c/ a educação em casa e nas escolas. Articular conceitos como ‘o que configura a violência’. Muita mulher está sendo agredida e não sabe.

    Enfim, baixemos por um instante a cabeça pela vergonha. Mas que a elevemos em seguida, porque temos MUITO, muitíssimo a fazer.

    bjs,
    Cris
    P.S. Obrigada pelas palavras motivadoras no blog. Ajuda muito. 🙂

  4. Sejam mulheres ou homens, ninguém conquista nada sem lutar. E no caso do Brasil, as mulheres ainda têm muito a conquistar, mas já percorreram um belo caminho, principalmente se compararmaos com outros países.

  5. Excelente, Cynthia!

    Sabe que eu fico me perguntando quando o Dia Internacional da Mulher se transformou nessa coisa babaca e piegas explorada para vendas: juro que não vi isso acontecer, acho que andava muito absorta nas minhas outras prioridades e só com o blog fui perceber oi que aconteceu… é de dar embrulho no estômago!

    Beijos e obrigada por participar mais uma vez!

  6. Pingback: Rato de Biblioteca » Blog Archive » No Dia Internacional da Mulher, dispenso a rosa!

  7. Pingback: No Dia Internacional da Mulher nem tudo são flores «

  8. Pingback: Os machistas no Dia Internacional da Mulher « Cynthia Semíramis

  9. Pingback: Os machistas no Dia Internacional da Mulher | Trezentos

  10. Quando dou feliz dia 8 de março é referente ao contexto da data, das lutas e pelas conquistas passadas e futuras. Comemorar e mostrar o potencial de quem luta pelos seus direitos.

  11. Pingback: Os machistas no dia internacional da mulher « NINJA – UFSJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s