Igualdade entre os sexos no Brasil: um sonho, ainda

Estudo realizado pelo Fórum Econômico Mundial classificou o Brasil em 74º lugar no ranking da igualdade entre os sexos. Os itens analisados foram participação política, participação econômica, saúde e educação.

Levando-se em conta apenas a participação política das mulheres, ficamos em 96º lugar. Isso se deve à baixíssima representação feminina no parlamento (cerca de 9%), nos ministérios (11%) e na chefia do Estado (zero). Essa é uma questão que preocupa muito o movimento feminista, pois a atuação política é importante não só pela visibilidade, mas pelo poder de elaborar leis e políticas públicas adequadas à realidade das mulheres. É interessante observar que as mulheres são força expressiva nos movimentos sociais, mas raramente ascendem aos cargos de liderança, ou entram diretamente para a política. Reverter essa situação é fundamental para a igualdade entre os sexos.

E, pra quem acha que as mulheres na Suécia (que ficou com o primeiro lugar do ranking) estão num mar de rosas, sinto informar que não é bem assim… a Maria Fabriani contou neste post que a ombusdman para a igualdade dos sexos atual (mulher) ganha menos que o seu antecessor (homem).

O uol divulgou o ranking. O relatório, em inglês, pode ser encontrado aqui.

Anúncios