Do fundo do baú

Procurando um arquivo antigo (ou pelo menos o título ou nome do autor, pra achá-lo novamente via google), encontrei coisas inacreditáveis num dvd de meados de 2005, tipo o link pro guia do e-mala (fundamental para quem participa de listas de discussão ou do orkut). Mas o que eu mais gostei foi de encontrar minha compilação antiga de mineirês, toda recebida por e-mail, e infelizmente sem atribuição a autor ou fonte. Como é muita coisa, vai pra depois do link abaixo. No fim das contas eu consegui o artigo que procurava, e ainda dei boas risadas.

Guia para iniciantes

1 UAI é indipensável: O que significa UAI?
UAI é UAI, UAI…

2 Usar sempre “i” no lugar de “e”
Ex.: MININO, ISPECIAL, EU I ELA, VISTIDO

3 Dizer “ÉMÊZZ?” quando quiser uma confirmação.

4 Se quiser chamar atenção diga simplesmente ÓI QUIÓ.

5 Se estiver com fome coma PÃO DJI QUEJJ.
Ex.: dois PÃO DJI QUEJJ e dois guaraná…

6 Na falta de vocabulário específico utilizar a palavra TREM que serve pra tudo, exceto como meio de transporte ferroviário. Neste caso, é TROÇO.

7 ONZZ é o meio de transporte coletivo rodoviário.: Ex.: Lá vem o ONZZ.

8 Se aprovar alguma coisa solte um sonoro MAIS QUI BELÊZZ!

9 Pra fazer café, primeiro pergunte PÓPÔPÓ?

Achou pouco, ficou ralo?
Pergunte: PÓPÔ MAPOQUIM DIPÓ?

10 Se você não sabe onde está e nem para onde vai, pergunte simplesmente:
ONCOTÔ? PRONCOVÔ? PRONÓISVAI ?

11 Se não estiver certo de comparecer, diga simplesmente CONFÓFÔ EU VÔ, que quer dizer: conforme for, eu vou.

12 Se o motivo da dúvida for algo que você tem que fazer, explique, “Vou fazer um NIGUCIM e volto logo”.

13 Ao procurar alguém que concorde com você, dispare um NÉMÊZZ?

14 Use a expresão aumentativa DIMÁI DA CONTA.
Ex.: ISSÉ BÃO DIMÁI DA CONTA.
CÊÉ BOBO DIMÁI DA CONTA.

15 Usar sempre duas negativas prá deixar claro que você não sabe do que está falando: “NUM sei NÃO”.

16 Use sempre o diminutivo INN, tipo PIQUINININN, LUGARZINN, BOLINN, MINEIRINN…

17 Use a expressão RAPÁI pra iniciar uma exclamação. Nem sempre é necessário complemento.
Ex.: RAPAAAI…

18 REDÁ: Mesma coisa de RASTÁ. Ex.: JUDA REDÁ ESS TREM AQUI Ó…

19 Ao terminar uma frase, conclua com a palavra SÔ.

20 Se alguém der cinco, supere e diga, DÔSSÊIS ou PROSSÊIS

Dicionário:

lidileite: litro de leite
mastumate: massa de tomate
dendapia: dentro da pia
kidicarne: quilo de carne
tradaporta: atrás da porta
badacama: debaixo da cama
pincumel: pinga com mel
iscodidente: escova de dente
nossinhora ou nó!!!: nossa senhora
pondions: ponto de onibus
denduforno: dentro do forno
doidimais: doido demais
tidiguerra: tiro de guerra
dentifrisso: dentifricio
ansdionti: antes de ontem
séssetembro: sete de setembro
sápassado: sábado passado
oiuchero: olha o cheiro!
pradaliberdade: praça da liberdade
vidiperfumi: vidro de perfume
oiprocevê: olha pra voce ver!
tissodaí: tira isso dai
rugoiais: rua Goiás
onquié: onde que é?
casopô: caixa de isopor
quainahora: quase na hora
ostrudia: outro dia
oncotô: onde que estou?
pronostamuinu: para onde nos estamos indo?

Mais dicionário:

ALÁ – Aponte para algum lugar e diga ALÁ. Todos saberão que você está tentando mostrar alguma coisa LÁ.
ALI – Qualquer lugar mais longe que você possa imaginar. É LOGO ALO pode significar de 100 metros a 500 km de distância.
ARREDA – Verbo na forma imperativa, semelhante a sair, deslocar-se: “Arreda pra lá, sô!”.
BÃO! – Tem alguns significados diferentes. “Bão pra daná” ou “danado di bão!” quer dizer que você gostou muito de alguma coisa. “Tá Bão” quer dizer que você está concordando com alguma coisa. “Tá Bão ?” é o mesmo que : ” Você está bem?”
BELZONT – Capital de Minas Gerais.
BERABA e BERLÂNDIA – Cidades famosas do Triângulo Mineiro
COFÓFÔ EU VÔ – Conforme for, eu vou.
DEUSDE – Desde: “Eu sou magrilim deusde que eu era muleque!”.
ÉMEZZZ? – Minerin querendo confirmação.
ESTAÇÃ – Onde desembarcam os minerin com suas malas cheias de queijo.
IMMM – Forma diminutiva: “Piquininimm, lugarzimm, bolimm, vistidimm, sapatimm etc…”.
GARRÔ, GARRADO – sinônimo de agarrado, preso. É usado quando a pessoa não consegue se locomover, ou quando faz questão de ir a algum lugar. Ex: o trânsito tá “garrado” (o tráfego não flui), “tô garrado na fila” (a fila não anda), “tô garrado nu show” (o show é imperdível, eu vou com certeza)
INTORNÁ – Quando não cabe na vasilha; derramar.
JIGIFORA – Cidade mineira que fica próximo ao estado do Rio de Janeiro
KINEM – Advérbio de comparação, igual: “Ela saiu bunita kinem a mãe”.
MA QUI BELEEEZZZ – Expressão que exprime aprovação; quando gostou de alguma coisa.
MAGRILIM – Indivíduo muito magro.
MINERIN – Típico habitante das Minas Gerais.
NIGUCIM – Qualquer coisa que o minerin acha pequeno.
NNN – Gerúndio do minerês: “Brincannno, corrennno, innno, vinnno”.
NU – Ao contrário do que você imagina, NU não é pelado. É uma forma de interjeição, de espanto. Ex.: ” Nuuu! Essa passou raspando!” . Você também pode dizer “NOSSA!”, “NÓ” ou “NOSSA SINHOOORA!”, que equivalem a “Nossa Senhora!!!”
NUM É MEZZZZ? – Minerim procurando concordância com suas idéias.
NUM… NÃO – Advérbios de negação usados na mesma frase: “Numvô não. Num quero não. Num gosto não”.
OIÓ TÓ – Olha aí, ó, toma…
ÓI QUI Ó – Para chamar a atenção para alguma coisa. Também pode utilizar “AQUI Ó”, “AQUI SÔ!” (este quando você achar algo que a outra pessoa estava procurando e não achava).
ONDÉQUITÁ? – Diga isso quando estiver procurando algo.
PÃO DJI QUEJ – Alimento fundamental na mesa mineira, disputa com o TUTU a preferência dos minerin.
PÓPÔPÓ? – Pode por o pó? (pra fazer café).
PÓPÔPOQUIN – Resposta do item anterior
SUFÁ – Objeto usado na sala de visita, onde sentam-se as visitas
SUZIN – expressão que define quando minerin está só
TREM – Palavra que nada tem a ver com transporte e que quer dizer qualquer coisa que o minerin quiser: “Já lavô us trem? Eu comi uns trem. Vamo lá tomar uns trem?”.
TRIANGO MINERO – Triângulo Mineiro.
TUTU – Mistura de farinha de mandioca com feijão triturado e uns temperim lá da horta.
TXII – O irmão do pai ou da mãe: “Mulher do txii é a txxiiiiaa”.
UAI – O correspondente ao UÉ dos paulista: “Uai é uai, uai!”.
VARGE – Aquele legume verde rico em fibras.

Receita típica:

Côvi nu ai i ói

2 den di ai
3 cuié di ói o gurdura di porcu
1 mói di côvi
1 cuié rasa di sobrimesa di mastumati
1 cuié di chá di cal di pimenta cumarim
Uns torresmin picadu piquininim, biiiin quibradim.
Sá a gosto.

Modifazê:
Casc uai, pic uai i soc uai cum sá.
Isquenta u ói na caçarola. Fogu ai socadu nu ói quenti.
Pica as côvi biiimm finin.
Foga as côvi nu ói quenti junto c’ uai fogado. Junta a mastumati.
Poim a pimenta i us torresmin i mexi c’ ua cuié di pau pra fazê o fogado.
Sirva com roizinho bin soltim, linguicim, tutu i ovu istalad.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Do fundo do baú

  1. Gora é só praticá coum textinn uai!

    Sapassado, era séssetembro, taveu na cuzinha tomano uma pincumel e cuzinhano um kidicarne com mastumate pra fazê uma macarronada com galinhassada. Quascaí disus, quando uvi um barui vino di denduforno, pareceno um tidiguerra. A receita mandopô midipipoca denda galinha prassá. O forno isquentô, o mistorô e a galinha ispludiu! Nossinhora! Fiquei branco quineim um lidileite. Foi um trem doidim, uai! Quascaí dendapia! Fiquei sensabê doncovim, proncovô, oncotô. Oi procevê quelucura! Graza Deus ninguém simaxucô!

Os comentários estão desativados.