Violência contra mulheres não é prova de amor, parte 2: o caso de Santo André

Gráfico do Estadão:TrajetoriaBala

Homens que não aceitam o fim do relacionamento e agridem suas ex-namoradas costumam, como parte da concepção de posse “se não for minha, não vai ser de mais ninguém”, agredir e mutilar o rosto, seios e genitais da mulher. Quando li que Eloá havia sido ferida na virilha, fiquei em dúvida sobre exatamente o tipo de informação que estava sendo ocultada. Pelo gráfico acima, podemos ver que virilha significa púbis. Mas já apareceu perito não identificado, com bola de cristal, dizendo que o tiro na “virilha” não foi intencional.

Fiquei impressionada com a postura do Ministério Público. Nos processos criminais, costumam se manifestar execrando os réus. Neste caso, se preocuparam com a integridade física do criminoso.

Não acompanhei o caso pela tv, e só agora estou sabendo das barbaridades. Este vídeo é nojento, o repórter deixa claro que estão preocupados é com o sequestrador, e ainda dizem pra Eloá confiar nele; o advogado deseja que o caso termine em pizza e com o casamento de sequestrador e sequestrada! Não tiveram nem um pingo de escrúpulos e trataram esse caso como novela, com direito a capítulo final na sexta e fim de semana para retrospectiva. Que mídia é essa que divulga o caso com tanto estardalhaço e de forma tão favorável ao sequestrador, dando mais idéia pra outros imbecis possessivos saírem fazendo suas ex-namoradas de reféns, e ainda tendo a certeza de que vão virar celebridades de tv? Responsabilidade e respeito passaram longe…

E a polícia de SP… que papelão. Só faltaram pedir desculpas ao sequestrador pelo incômodo causado. Deixaram adolescentes se tornarem negociadores de sequestro e depois jogaram a culpa nas famílias, permitiram 5 dias de agressão, permitiram retorno de refém ao cárcere, não quiseram dar o tiro de comprometimento no sequestrador porque era “um garoto de 22 anos, sem antecedentes criminais e uma crise amorosa“. Quer dizer então que podia mandar bala se tivesse antecedentes criminais? Pior ainda, quer dizer que crise amorosa desculpa tudo, inclusive agredir, manter refém e matar a ex-namorada? É muita solidariedade masculina pro meu gosto. Que falta de preparo e de empatia com as vítimas…

Se eu pudesse dar um conselho a todos os homens, seria: NUNCA minimize os crimes cometidos por um homem dizendo que se trata de uma crise amorosa. Isso só esconde o machismo da situação. Se uma mulher é ciumenta e possessiva, é considerada descontrolada, precisa se tratar, tem de ir pro MADA. Se um homem é ciumento é possessivo, consideram-no um sofredor romântico apaixonado (seria uma imagem cômica, se os resultados não fossem tão trágicos). Façam-me o favor de engolir esse machismo e admitir que temos aqui dois pesos e duas medidas. NADA justifica um homem não aceitar o fim do relacionamento e querer impor a vontade dele à força. NADA justifica um homem cometer pelo menos cinco crimes e ter gente querendo desculpá-lo porque as vítimas são mulheres e não obedeceram à vontade dele.

Por fim, leiam também a Lola, a Bárbara, a , a Denise, a Liliana, Mafalda crescida, Lila, Lola novamente, Valéria.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Violência contra mulheres não é prova de amor, parte 2: o caso de Santo André

  1. Cynthia,

    nossa esse episódio foi uma das coisas mais lamentáveis que eu já vi, especialmente pela repercussão, pelas justificativas, pelos comentários. Eu achei tudo horroroso e tinha horas que nem acreditava no que tava lendo, ou ouvindo. Lastimável. Beijos

  2. Ai Cynthia, tudo errado nesse caso. Ninguém me convence que esse tiro na virilha foi “acidental”. Agressores costumam atacar partes femininas, como seios e vagina. Sempre. Isso aí não parece ter sido diferente.
    Tudo errado, tudo errado.

  3. Nem sei se tenho mais o que comentar sobre esse caso revoltante. Mas parabéns pelo seu conselho aos homens. Acho que pode até ser expandido: não minimize os crimes dos homens, em qualquer circunstância. Amanhã publico um post de um leitor querendo minimizar o caso do colunista da Trip falando do estupro da empregada. É sempre a mesma coisa: em casos de violência de homens contra mulheres, sempre há “atenunantes”…

  4. e a stella acabou de comentar no meu post que no orkut do lindemberg tem uma comunidade intitulada “eloá virou presunto. já foi tarde”. por que? porque ela era uma “putinha”. esse caso não pára de trazer essas pérolas! como é possível!…

  5. Quando mostraram o Linderberg saindo andando, de camiseta vermelha, depois da saída de uma maca com uma pessoa em cima, eu sabia que quem tinha levado a pior foram as meninas… Como eu torci para que fosse ele naquela maca! 😦
    Uma menor de idade, passando por tudo aquilo, e o sujeito vem me falar em casamento… Gente, mesmo se ela quisesse, os pais (acredito muito), e o juiz (acredito), não permitiriam… Sem noção.

  6. Eu só fiquei sabendo desse caso agora, pelo blog da Lola. Estou lendo sobre, mas acho que já vou parar porque me revolto mais e mais a cada página que abro.

    Ser mulher é tão bom, mas é tão ruim.

  7. Cada dia que passa fico impressionada com as coisas que acontece…
    me emocionei mto quando vi a parte do enterro na tv,
    era pra ser ele ali e nao ela!
    Muita gente comenta da amiga que nao era pra ter voltado lá…
    mais só pelas fotos eu vi Como elas eram mto amigas!
    =/
    Bjs

  8. Essa história tem me abalado bem mais do que eu esperava. Ontem vi parte do programa mundo-cão do Datena na Band. Uma menina de 15 anos também assassinada por namorado (acho que no RS), outra, gestante, de 18 anos, sequestrada pelo ex-marido, outra mulher que era continuamente espancada pelo marido, amarrada na cama enquanto o infeliz abusava das filhas dela. Ou seja, é um mundo man-friendly, absolutamente misógino. E o que mais me angustia é perceber mulheres que reproduzem o discurso machista.

  9. nossa.. eu fiquei sabendo dessa noticia pelo blog quando procurava material para o meu tabalho. eu vou fazer questao de o publicar para a minha turma. temos de parar estes compurtamentos machistas…e triste saber que na sociedade atual ainda acontecem dessas coisas.

  10. é realmente isso é lamentavel, sinto muito pelo que aconteceu, isso foi errado, os policiais não souber trabalhar nesse caso da elóa, criminosos não sabem o que fazem só sabem agredir mulheres indefeza, agora bota um homem pra ver se ele se garante. beijos

  11. Pingback: Fazendo Gênero 9 « Cynthia Semíramis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s