Arquivo da categoria: gatinhos

Duas coisas que me deixaram feliz hoje

Padrão


O vídeo acima me deixou muito feliz porque mostra as feministas como mulheres normais, comuns. Parece tolice, mas estou cansada de pressuporem que eu reclamo o tempo todo, ando com um rolo de macarrão na bolsa pronta pra agredir os machistas de plantão, não cuido da minha aparência, detesto roupas sensuais, ou quero implantar uma ditadura das mulheres, só porque a mídia criou essa imagem das feministas para tentar nos desmoralizar. Não somos assim e, pra dizer a verdade, não conheço ninguém assim.
Pra quem não conseguiu entender o inglês do vídeo, a Denise postou a tradução feita pela Maffalda.

Outra coisas que me deixou feliz foi saber que o Conselho Federal de Medicina Veterinária proibiu, através da resolução 877/2008, diversos procedimentos cirúrgicos que mutilam animais de pequeno porte. Os exemplos mais cruéis, pra mim, são o corte de cordas vocais de cães e a retirada das unhas dos gatos. Perdi dois sofás porque os gatos adoravam usá-los como arranhador, mas nunca passou pela minha cabeça mandar retirar as unhas deles e deixá-los sem defesa. E só de pensar em animais que têm as cordas vocais mutiladas para que não possam se expressar pela voz, tenho vontade de arrancar as cordas vocais do infeliz que inventou isso, pra ver se ele gostaria de provar da própria “solução”. Até que enfim alguém tomou uma providência contra esse desrespeito aos animais.

O menino e o gato

Padrão

Preparando meu almoço, comecei a ouvir miados agoniados na vizinhança. Quem tem gatos sabe do que estou falando: aquele miado angustiado, que fez travessura tipo subir no topo do armário, e não sabe descer…

Fui até a janela e vi, no prédio em frente, um gato no beiral entre a cobertura e o apartamento, miando horrores. O dono, na verdade um menino de seus 12 anos aproximadamente, se curvou na grade e segurava uma toalha para ver se o gato tinha coragem de subir por ela. E o gato continuava miando, e o menino continuava sacudindo a toalha…

Ficou esse impasse por alguns minutos, até que o gato cansou de miar, pulou direto pra grade, passou pelo menino perplexo e entrou dentro da casa!

Aventuras culinárias felinas

Padrão

Sofia ama leite, pede um pires cheio toda manhã ao reconhecer a caixinha. Snarfete só bebe leite se tiver alto teor de gordura. Snarf faz escândalo ao sentir cheiro de alface. Irene também. Fofa também gosta de alface, mas prefere qualquer tipo de queijo, inclusive ricota. Aliás, Fofa é a comilona da casa, come pão e batata crua, rói caixa de leite e come almofada de sobremesa. Irene e Fofão gostam da dieta dos insetos. Esta semana, descobri a grande tragédia: todos gostam de palmito. Quando abro a lata, ficam me encarando, torcendo pra cair um pedaço no chão. Eu acho o máximo que meus gatinhos tenham bom gosto, mas disputar o meu palmito é um exagero!

Dia Mundial dos Animais

Padrão

Pra quem não sabe, hoje é o Dia Mundial dos Animais (a data é em homenagem a São Francisco de Assis), e existe uma Declaração Universal dos Direitos dos Animais:

Artigo 1º

Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência.
Artigo 2º

1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado.

2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais

3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à proteção do homem.

Artigo 3º

1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos cruéis. 2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe angústia.

Artigo 4º

1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.

2.Toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito.

Artigo 5º

1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie.

2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.

Artigo 6º

1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural.

2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.

Artigo 7º

Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.

Artigo 8º

1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.

2.As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas.

Artigo 9º

Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.

Artigo 10º

1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.

2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.

Artigo 11º

Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida.

Artigo 12º

1.Todo o ato que implique a morte de grande um número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie.

2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.

Artigo 13º

1.O animal morto deve de ser tratado com respeito.

2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.

Artigo 14º

1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem estar representados a nível governamental.

2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem.

Para saber mais, e melhorar a vida dos bichinhos: